Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Ter | 05.02.19

Óoooh mãeeeee!

Fatia Mor

Há qualquer coisa de místico no gritar Óooooh Mãeeeee. Diria, até, que eles vêm equipados com essa habilidade. Parece transversal a todas as culturas. E a todas as idades. Posso estar a 10 milhas ou mesmo ao lado deles, que o empenho com que gritam Óoooh Mãeeee é o mesmo. Pode ser um pequeno som que se prolonga no contínuo espaço-tempo, ou a articulação perfeita dos sons... Ele está lá.

 

Vejamos exemplos práticos da situação em que o Óoooh Mãeeee se aplica.

1. Criança na casa de banho. Acabou de fazer cocó ou xixi.

Óoooh Mãeeee, jáaaaaa estáaaaaa!

Este obriga a acção imediata, sob pena de... bem... enfim... Fiquemo-nos por "necessita de acção imediata".

 

2. Estou ao lado deles. Estala uma discussão por causa de um grão de pó que ousou desequilibrar a distribuição equitativa de grãos de pó no espaço pessoal de cada um.

Óoooh Mãeeee, a mana tem mais pó do que eu!

Nada a fazer neste caso. Eventualmente, no meio da luta que se seguirá, alguém irá reequilibrar este flagêlo.

 

3. Não sabem de mim, mesmo que esteja ao seu lado. Por algum motivo que me ultrapassa, devo ter capacidades de invisibilidade momentânea, que infelizmente não sei aproveitar a meu favor...

- Óoooh Mãeeeee, onde estáaaaas?

- Aqui.

- Ah! Ok. 

- Que precisas?

- Nada.

Este momento é auto-explicativo. Serve apenas para assegurar que a invisibilidade se desvanece. Ou que nos apanham a comer o chocolate que lhes deram no Natal ou na Páscoa e que jurámos a pés juntos já ter acabado.

 

4. Uma pessoa prepara-se para dormir. Ultrapassou todo um soalho que range, pé ante pé, talvez até descalça para garantir que não faz barulho. Lava os dentes numa tentativa de abafar qualquer som estranho. Sussurramos para que não nos oiçam. Mal ouvem as pestanas a bater, no momento em que estamos a adormecer e...

Óoooh Mãeeee, quero água/xixi/tenho medo/acende a luz/não tenho sono/já é de manhã/vem cá! (riscar o que não interessa).

Este acaba sempre connosco a vaguear entre quartos, às escuras, e a espetar o pé num qualquer brinquedo pontiagudo esquecido no chão. Normalmente são legos. São sempre legos. E eu que nem tenho legos em casa!!!

 

Enfim... Usado de forma gratuita e vulgar, o Óoooh Mãeeee tem a capacidade de nos colocar em alerta, de nos arrancar da cama e de nos fazer levantar repentinamente da sanita, independentemente do que estivéssemos lá a fazer.

 

Uma bomba. É uma bomba.

 

7 comentários

Comentar post