Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Seg | 24.12.18

O Pai Natal e os 8 pássaros (24/24)

Fatia Mor

Depois de muitas voltas, o Pai Natal está prestes a ser substituído por Idalete Natal. Será que se vai fazer história no mundo? Ouçamos o diálogo entre este casal natalício. 

 

- Idalete, amorzinho - dizia o Pai Natal, corado - isso é trabalho para... Huummm... Ahhhh...

- Para um homem? É isso que queres dizer?
Nicolau sentia a fúria da mulher e não era isso que ele queria insinuar...
- Não, querida. É trabalho para mim. Eu sei que ando um pouco estranho, ultimamente. Mas a verdade é que não é o Natal que me está a preocupar. És tu, amorzinho.
É então, finalmente, o Pai Natal desabafou...
Ao longo de todos aqueles anos como Pai Natal, Nicolau nunca tinha conseguido oferecer a Idalete o presente que ela mais queria. Um filho. E todos os anos criava-se uma angústia enorme no seu coração, porque ele levava a todos os meninos e adultos que acreditavam nele, as prendas que todos desejavam.
Já com esse desabafo exteriorizado, Idalete chorava agarrada ao Pai Natal.
- Querido, tu não vês que eu nunca quis mais nada que não fosses tu?
Nesse exacto momento entra Aretha, com um coro para começarem a entoar os hinos natalícios.
O Pai Natal informou os 8 Pássaros que nada estava perdido. Ele iria utilizar toda a sua magia para pôr este re Natal a andar. Ligou para Deus e disse-lhe que ele tinha que pôr o menino na ordem em vez de mandar os outros entretê-lO, ao que Ele aquiesceu. Como por magia, em casa do Pai Natal a balbúrdia resolvia-se para espanto de todos.
Nicolau estava a transformar-se na figura natalícia que viaja pelo mundo.
Num instante, também se puseram todos lá. Os elfos trabalhava a todo o vapor, Idalete acabou de fazer o repasto para a viagem, o livro das entregas estava pronto e até Jesus tinha até deixado um postal de natal com a Sagrada Família, a agradecer pelo presente (Maria fica sempre bem nas fotos, pensou Idalete, enquanto admirava o postal).

Sempre ficara com o overboard, com a promessa de não andar por aí a fazer milagres em cima daquilo. E lá percebera que, o Seu papel era de trazer esperança ao mundo, completando o Pai Natal. 

E pouco antes da meia-noite, Nicolau saiu no seu trenó, com a certeza que o espírito Natalício estava vivo.
Idalete tinha-lhe dito, momentos antes de sair, que o único filho que ela queria era apenas saber que todas as crianças do mundo sorriam ao ver os presentes que o Pai Natal, São Nicolau, lhes levava naquela noite. Feliz, o Pai Natal saiu para cumprir o seu destino, deixando para trás todos os pássaros felizes. 
E assim se salvou mais um natal.

3 comentários

Comentar post