Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

07
Jun18

E já são 36!

Fatia Mor

Quando tinha 6 anos achava que o tempo não passava. Lembro-me de ficar a olhar para o relógio para ver o ponteiro dos segundos passar e posso jurar que ele abrandava, ligeiramente, quando eu o observava atentamente.

Aos 6 anos não tinha pressa em crescer. Os dias eram longos, enormes a bem dizer. Podia encaixar aventuras várias, entre a hora de acordar e a de voltar a dormir. Por essa idade, olhava para o meu avô e ouvia-o dizer "quem me dera ter outra vez 20 anos e saber o que sei hoje!" e achava sempre que aquilo era um exagero. As pessoas com 20 anos já eram crescidas o suficiente para saber como lidar com a sua vida!

O tempo não passava para mim mas passava para todos os outros, percebo agora, à velocidade da luz. 

Dos 6 aos 12 foi um martírio... Os dias eram lentos, as férias eram enormes. A adolescência chegou a custo e demorou a passar. Aqueles anos todos entre os 13 e os 18... Ui... 20 anos, não!? Agora, olho para a minha filha mais velha, prestes a completar 6 anos e acho que os 5 que já se passaram demoraram apenas alguns meses, no calendário da vida.

Aos 13 fiz a minha primeira festa de aniversário fora de casa! Juntei-me a uma amiga (que será dela?!), que fazia anos logo a seguir a mim e decidimos fazer um jantar conjunto, num restaurante badalado da época! Badalado, leia-se, barato. 

Fazer anos era um marco essencial na vida de qualquer adolescente, era aquele momento em que somava mais um ano ao bilhete de identidade e em que se reduzia o hiato entre a idade real e aquela que se dizia ter para se entrar no Académico! (malta de Faro, lembram-se?) Era o momento de juntar amigos, de festejar, de sermos "a rainha da noite". Eram os anos 90 e qualquer motivo era bom para sairmos de casa e convivermos com a família que escolhemos. 

Algures pelos 25/26 anos, a idade começou a correr. O entusiasmo de crescer abrandou; proporcionalmente, o tempo começou a andar mais depressa. Quando me apercebia, já tinha passado mais um ano. Mais um verão a entrar, mais um ano a sair. Mas, quando eu achava que não podia passar mais depressa, eis que chegam os filhos. Não há maior "relativizador" de tempo do que um filho. 

Desde o momento em que começamos a medir a gravidez em semanas, até aos meses que ansiamos que passem para os vermos sentar, palrar, gatinhar, andar, começamos a olhar o relógio com outro olhar. Agora, posso garantir que quando observo o ponteiro dos segundos, ele salta de dois em dois.

Os dias mal dão tempo para viver uma aventura, entre o acordar e o deitar. Tentamos encaixar tudo no dia tripartido: dormir 8h, trabalhar 8h, estar com os que gostamos 8h. E quem sabe, fazer as compras, pensar nas refeições do dia, ler um livro, ver uma série, sei lá, qualquer coisa que seja diferente.

Este ano, cheguei à bela marca das 36 primaveras. Há 30 anos jamais teria conseguido imaginar a minha vida hoje em dia. Há 30 anos, achava que seria médica ou cabeleireira, que teria um cão, e pouco mais. Não sou uma coisa nem outra e animais de estimação nem vê-los. Mas sou mãe, mulher, professora, e muito mais coisas que nunca pensei ser!

Aos 36 anos vejo em mim alguém que ainda tem uma vida inteira para frente, para se conhecer, para melhorar, para aprimorar. Aos 36 anos receio as voltas da vida, reconheço-lhe a fragilidade e estou grata por tudo o que conquistei ou me foi dado. Aos 36 anos olho para os meus filhos e percebo que o tempo lhes passa lentamente, levando-os na mesma ingenuidade que eu tinha. 

São 36 meus senhores. E isto ainda agora começou!

14 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre a FatiaMor

foto do autor

Fatias antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Créditos

Imagens produzidas e fornecidas por Flaticon (https://www.flaticon.com/).