Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Sex | 11.10.19

Desafio de escrita dos pássaros #5 - Estás na fila para o purgatório (...)

Fatia Mor

Pedro rodopiava um molho considerável de chaves na mão, com ligeiro desconforto e impaciência, fazendo-as tilintar ao ponto de Lúcifer lhe atirar uma fagulha para as vestes, como quem diz “daqui-a-bocado-isto-pega-mesmo-fogo”.

À sua frente estava um homem pequenino, de bigode rente, cabelo à escovinha e ar de tótó.

S. Pedro suspirou mais uma vez e olhou para Lúcifer, que redarguiu logo,  - É que nem penses, santinho, não me convences com esse ar de cordeiro!.

- Mas Lúcifer, por favor, sê razoável! Se vamos levar isto ao Altíssimo vamos ter problemas. Não preciso de te lembrar como acabou a contenda sobre Gengis Khan, pois não?

Hitler continuava sem saber o que dizer. A verdade é que sempre pensou que as portas do Céu lhe estariam vedadas, mas tinha depositado as suas fichas no inferno. Literalmente.

No jogo de póquer da última quinta-feira, tinha feito um all in e tinha ganho as chaves do Inferno ao próprio Lúcifer. E agora, o falso, não o queria deixar entrar!

Quando o impasse parecia estar para durar uns milénios e com os arcanjos a prepararem-se para ir fazer queixinhas ao-do-Alto, um fulano bem parecido, atravessa-se no assunto, enquanto salta de um carro em chamas, em grande estilo. Umas tantas beatas que aguardavam destino na fila, suspiraram de emoção.

- Adão, advogado, ao vosso dispor.

- Só faltava este! - rugiu Lúcifer.

- Ainda gostava de saber em que escola de anjos andaste tu – disse-lhe S. Pedro – para não enviar para lá nenhum! Que maneiras, velhaco! Diz lá, Adão. – atirou-lhe o santo, com paciência.

- Caríssimos, permitam-me colocar-vos um pequenino dilema. Imaginem que se encontram numa encruzilhada com duas saídas.

- Isso não é uma encruzilhada – tossiu o diabo.

- Naziiii da palaaaaavraaaa pá! Não há quem te ature! – trovejou-lhe S. Pedro.

- Pronto! Pronto. Uma bifurcação. Em cada uma delas está um humano. Um diz sempre a verdade, o outro mente. Um dos caminhos conduz-te à morte. Só podes fazer uma pergunta. Como sais daí, pelo caminho certo?

Pedro e Lúcifer trocaram um olhar cúmplice e intimamente concordaram que o Adão já tinha perdido o tino, certamente depois de ter sido enganado pela Eva. Falava-se de uma história com uma maçã, mas nunca se chegara a apurar o que realmente tinha acontecido; só se sabia que eles continuavam juntos.

Adão continuava expectante, como quem espera permissão para falar.

 

[a bem de respeitar as regras do desafio e contorná-las habilmente, neste que é um conto que pretende homenagear algumas das conversas aladas, o mesmo continua dentro de momentos, noutro post]