Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Sex | 20.12.19

Desafio de escrita dos pássaros #15 - O Pai Natal decidiu reformar-se e as entrevistas começam esta semana. Descreve uma dessas entrevistas na perspectiva do recrutador de recursos humanos: A Rena Rudolfo.

Fatia Mor

Rudolfo começou a ler o anúncio em voz alta para as renas que compunham o Christmas Executive Board: - Homem, de … Foi de imediato interrompido pela Mãe Natal, Quality Manager: - Ó Rodolfo, não podemos discriminar o sexo no anúncio. Vamos ser acusados de sexismo. Rudolfo riscou qualquer coisa no papel e retomou: - Homem ou mulher, de 45 anos ou mais, com barbas grisalhas... O olhar reprovador da Mãe Natal fez-se sentir na sala, novamente, - ou tolerante a perucas de pelo verdadeiro que lhe confiram uma barba e cabelo grisalhos. O Trovão, Chairman do CEB, perguntou de imediato: - E as soft skills?

Rudolfo acendeu o nariz, de tanta interrupção, mostrando o seu desagrado: - Espera-se capacidade de liderança de múltiplas equipas operacionais, capacidade de empatia com crianças de vários calibres e capacidade para diferenciar os bem dos mal comportados com acuidade elevada e erro inferior a 5%.

Cometa continuou: - Deverá ter experiência de condução de máquinas pesadas, como trenós, preferencialmente com mais de 1000 horas de voo. Diria que também deve apresentar boas capacidades de orientação espacial. Acho que devemos optar por uma bateria de provas de inteligências múltiplas para podermos avaliar todas estas valências.

Trovão, torceu a orelha e bateu com as hastes no Cupido, que estava distraído com o telemóvel a ver renas por encomenda. Cupido endireitou-se e pronunciou: - Não há dinheiro nem tempo para isso. Como CFO digo que não há, portanto, entrevista e já vamos com sorte.

Rudolfo abanou as hastes mas resignou-se.

 

Quinze dias depois estavam novamente reunidos para dar início às entrevistas. Abriu a porta e olhou para o corredor, desolado. Quatro candidatos tinham respondido ao anúncio. O primeiro, um miúdo de 28 anos, que claramente não lera a descrição, mostrava-se entusiasmado com as decorações de natal. Rudolfo suspirou. Os restantes, ao menos, encaixavam na idade. Um deles era um pai natal hipster, barba aparada, calças ao xadrez, a transmitir uma instastory enquanto fazia propaganda a uma conhecida marca de produtos proteicos com o código SOUOTEUPAPÁ10. O terceiro deixou o Rudolfo na dúvida se era um homem ou uma mulher. Pensou com o seu nariz que a Mãe Natal ficaria feliz com aquele candidato. Finalmente, a medo apareceu um senhor de meia idade, com ar de avô, simpático e com boas referências. Já tinha personificado o pai natal várias vezes em shoppings e tinha passado com distinção na carta de trenó.

Rudolfo descartou os três primeiros com velocidade e mandou entrar o senhor Nicolau Natividade. Até o nome era perfeito. Após longa conversa animadora, Rudolfo entusiasmado, disse-lhe, triunfalmente: - Sr. Nicolau, se quiser, o lugar é seu. Pode começar hoje mesmo.

Os olhos castanhos do Sr. Nicolau brilharam, mas a alegria foi substituída por um sorriso amarelo: ­ E o ordenado, Sr. Rudolfo?

Rudolfo tossiu: - Sabe, temos tido algumas restrições orçamentais, mas serão 2 ordenados mínimos nacionais, mais subsídio de alimentação. Não pagamos horas extraordinárias, nem feriados, mas compensamos com dias de férias.

O Sr. Nicolau ergueu-se de súbito, agradeceu mas declinou o lugar: .- Desculpe lá, mas o Colombo paga mais. Até ver, Sr. Rudolfo.

E assim, pela primeira vez, o Natal ficou sem pai natal e as renas sem prémios financeiros no final do ano.

6 comentários

Comentar post