Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Qua | 02.05.18

Cabelos brancos... muito cabelos brancos!

Fatia Mor

Parece que os miúdos têm um capacidade irritante. Esperam sair de casa, chegar a um café, restaurante, estabelecimento comercial ou até mesmo o carro para se lembrarem que querem fazer cocó. Peço já desculpa aos mais sensíveis à palavra, mas acreditem que é bem melhor lê-la escrita aqui do que ouvir, em alto e bom som, onde quer que esteja e com quem quer que esteja à nossa volta:

 

Oh mãe, quero fazer cocó!

 

Adiante.

 

Lá fomos nós, ligeiritas até à casa-de-banho mais próxima daquela superfície que agrega várias lojas e dá pelo nome de shopping. Felizmente, já há uns tempos que estas casas-de-banho têm espaços destinados aos mais pequenos (um dia, quem sabe, falarei sobre isso).

 

Quando chegámos, encontrava-se uma menina a usar o espaço. Fatia#2, na sua forma expressiva de expor as coisas, referia que não aguentava mais. 

Começa, então, o que eu gosto de chamar "a evangelização do cocó". Também pode ser do xixi, mas aqui era só o número 2 a querer vir ao mundo!

"Oh filha, aguenta mais um bocadinho. Não falta nada. A menina está quase a sair. Vamos pensar nas lojas que vimos lá fora. O que será que o pai e os manos ficaram a fazer..." E lálálálá. 

A outra miúda lá se despachou, nuns segundos que pareceram minutos, e entrámos aceleradas.

 

Faço a preparação do espaço (noutra altura, senhores, noutra altura!), ela senta-se na sua sanita mini e lá faz o que tem a fazer.

Estava eu a tentar perceber se era coisa para durar quando batem à porta.

Digo-lhe eu:

- Despacha-te Fatia#2, que há um menino lá fora que quer usar a casa-de-banho.

 

Sua excelência franze-me o sobrolho, enquanto se esforça mais um pouco e responde-me calmamente:

Eles que esperem.

- Eles quê? Mas como assim-eles-que-esperem? Oh filha, então quando estavas aflita querias que a menina saísse e agora dizes isso?

- Oh mãe! Têm mesmo que esperar, não queres que eu saia daqui como o cocó meio "fazido"*, pois não?

 

E pronto, é isto, eles que esperem, que cocós a meio é que não! 

 

* Ela ainda conjuga os verbos todos como se fossem regulares.

7 comentários

Comentar post