Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Qua | 20.04.16

As coisas que eu já ouvi por ser psicóloga

Fatia Mor

Não é incomum ler aqui e lá, piadas hiperbolizadas sobre o que um psicólogo ouve de amiúde... Acabei de passar os olhos por uma e pus-me a pensar... 

E aquelas que eu já ouvi, e que não tomando dimensões de figuras de estilo, foram momentos da vida real que mais parecem retiradas do surrealismo?

Ora bem, vamos a isso, da pior para a melhor!

 

A sério?

A sério. Será que a expectativa seja de que as pessoas mintam quando lhes perguntam o curso ou a ocupação profissional?

 

E isso tem emprego?

Aparentemente. Claro que as coisas não estão fáceis para ninguém. Mas isto é como dizer a uma pessoa que engordou "não estás um bocadinho mais gorda?". É uma pobreza, e um gasto de latim desnecessário, falar do óbvio não?

 

E dás consultas?

Eu sei que a concepção que existe de um psicólogo é próxima da imagem do divã, com um velhinho de barbas com um caderno nas mãos a tomar notas sobre tudo o que dizemos. Mas felizmente para mim e para os psicólogos, no geral, "dar consultas" não é a única coisa para a qual ficamos habilitados quando terminamos um grau em Psicologia.

 

Isso é aquela coisa de aturar malucos, certo?

Sim. A avaliar por esta conversa, diria que sim! (não é o que respondo, mas vontade não me falta!).

 

Que bom, sabes é que estou aqui com um problema...

Pois, mas eu hoje estou de folga. Que tal marcares um consulta no meu consultório privado? 

 

Então tenho que ter cuidado contigo... podes ler-me!

Sim, especialmente depois de uma frase dessas, consigo ver no teu futuro próximo uma agressão verbal...

 

 

E por aí, mais profissões que oiçam coisas disparatadas? 

44 comentários

Comentar post

Pág. 1/2