Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Qua | 21.02.18

E hoje é dia de...

Fatia Mor

...editar até cair para o lado!

Tenho o prazo da entrega até sexta-feira e estou a dar em louca.

O meu traço obsessivo persegue-me e dou por mim a colocar defeitos em tudo.

Deixo-vos um exemplo de um antes e de um depois, que ainda está em percurso e está sob julgamento do meu sentido estético.

 

 

Seg | 19.02.18

Lembram-se disto?

Fatia Mor

Lembram-se de, há dias, vos ter falado de umas heranças pessimistas?

 

Pois bem, tenho a informar-vos que o computador já é outro!

 

Depois de chatear amigos que percebem de informática, pessoal dos serviços técnicos de informática, depois de passar umas horas a ler sobre estas questões online, de chatear os serviços de suporte da marca do pc, da marca da placa e da adobe, rendi-me às evidências.

Peguei nas tamanquinhas, nos pc, na caixa, no talão e toca a trocar o bicho.

Umas horas depois sou uma feliz dona de outro, que até agora não mostra sinais de fraqueza.

 

Devo, também, fazer um louvor aos senhores da assistência da NVIDIA e do Jumbo. Os primeiros, tenho a certeza que nunca vão saber de quão prestáveis foram. Pelos nomes, pareciam-me retirados de um filme de bollywood, mas foram irrepreensíveis na forma como abordaram e tentaram resolver a situação. Os senhores do Jumbo, onde comprei o computador (já sei que não são uma casa de produtos informáticos e lálálá), deram todas as voltas para me tentar resolver o problema, incluindo o instalar versões de avaliação do photoshop nos computadores de exposição para ver se o problema ocorria com outras placas gráficas, nas máquinas disponíveis.

Impecáveis, rápidos, informados e capazes de solucionar o problema num curto espaço de tempo, sem questões colocadas.

Quanto a estes, farei questão de deixar o meu louvor na empresa.

 

E pronto, publicidade à parte, que ninguém me paga para falar bem deles, vou fazer figas e esperar que seja desta!

Torçam por mim.

 

 

Sex | 16.02.18

Aqueles dias...

Fatia Mor

Sabem aqueles dias, em que nos sentamos à secretária e simplesmente não nos focamos no que temos para fazer?

E quanto mais olhamos à volta, menos vontade temos de fazer alguma coisa?

E quanto mais pensamos nisso, mais o desespero se apodera de nós e nos paralisa?

 

Pronto, olá mundo.

Hoje é um dia desses...

 

 

Qui | 15.02.18

Causas múltiplas suficientes

Fatia Mor

Por vezes, vejo perguntas retóricas por esta internet fora que me fazem sempre lembrar os estudos da atribuição causal.

Muito rapidamente, estamos constantemente à procura de causas para os efeitos que observamos. Kelley acreditava que nós recolhíamos informações de múltiplas observações que realizávamos ao longo do tempo, para avaliar a possibilidade de causa de um dado comportamento ser interno ou externo.

Para não vos chatear muito com pormenores teóricos, do modelo de covariação, Kelley considerava que quando tínhamos pouca informação para sustentarmos a nossa atribuição, íamos à procura das causas múltiplas necessárias ou das causas múltiplas suficientes.

As primeiras, serão as condições mínimas necessárias para a dada ocorrência de um efeito. A segunda, são do conjunto de causas possíveis, a suficiente para explicar a tal ocorrência.

E na verdade, esta última é uma boa navalha para julgar o mundo.

 

Ora vejamos:

Mas porque há tanto ódio nas redes sociais?

Resposta: Porque as pessoas são parvas.

Porque é que há guerras no mundo?

Resposta: Porque as pessoas são estúpidas.

Onde é que estão os homens que são para manter?

Resposta: Com as mulheres que são para manter.

 

Portanto, como podem ver, navalhas simples e acutilantes - causas suficientes - que ajudam a explicar os mais complexos fenómenos da vida humana de forma parcimoniosa (acabei de fazer o senhor Occam feliz!).

 

 

Nota de navegação ao leitor: isto é suposto ser um texto com humor. Acredito que há muito mais no mundo que explicações simples para a complexidade humana. Mesmo que, por vezes, apenas se possa explicar pela estupidez que a espécie dos homens ainda parece dotada!

 

Qua | 14.02.18

Diz que é dia de S. Valentim...

Fatia Mor

...e o que diz "amo-te" mais espectacularmente do que comprar uma máquina de loiça nova?

Nada! Não há mais nada porque, na verdade, não sobra dinheiro para mais nada!

 

E pronto, como uma despesa nunca vem só, este mês traz consigo um grande electrodoméstico. No ano passado foi a máquina da roupa, este ano a da loiça, cheira-me que nos próximos serão o frigorífico ou o congelador.

 

Apostas, vai?

Ter | 13.02.18

Olhem-me ali, no cantinho da MissUnicorn

Fatia Mor

A Miss Unicorn desafiou-me e eu aceitei.

Era uma vez... conta pequenos episódios da FatiaMor quando era pequenina.

Sim, porque eu já fui pequenina e, apesar de ajuizada, também tive os meus momentos de "glória"!

Curiosos?

Passem por lá!

 

Obrigada Miss Unicorn por me fazeres recordar um bocadinho destes tempos!

 

(para os mais distraídos, basta carregar aqui)

 

 

Seg | 12.02.18

Então Fatia, que tal de Carnaval?

Fatia Mor

Molhado.

E frio.

E molhado.

Já disse que está a ser molhado?

 

Não há como viver no hemisfério sul, nesta altura do ano!

 

Gabo o gosto a todos os foliões que em dias de chuva e de mínimas épicas colocaram os seus dois pézitos fora de casa, com uma máscara digna do sol de Copacabana.

 

Eu mascarei-me de mulher cebola. Camada após camada de roupa!

A sorte é que o Carnaval são dois dias... Desde sexta até terça, são claramente dois dias bem medidos!

 

Venha quarta de cinzas que eu quero começar a contar os dias para a caça aos ovos de chocolate!

 

(se eu não fizer sentido aparente é porque violei os meus princípios e estive a trabalhar até agora)

Pág. 1/2