Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Ter | 25.07.17

"Mulher, tu tira daí as mãos!"

Fatia Mor

O Fatia#3 é um doce de bebé. Um autêntico "zé sorrisos" como lhe chama, e bem, o avô Fatias.
Não há dia em que não acorde a rir, gosta de dar umas belas gargalhadas, gosta de festas e espalha charme por onde ande.

O Fatia#3 tem também um testículo que ainda não desceu para o escroto.

O que é que ambas as ideias têm a ver uma com a outra? - perguntam vocês. Tudo! Têm tudo a ver!

 

Na ânsia de que a situação se resolva sozinha, vira não vira, tento ver se os dois testículos estão onde devem estar.

Por norma, faço essa operação quando o tiro do banho ou quando lhe estou a trocar a fralda.

No seguimento de ser um bebé rechonchudo e bem disposto, enquanto troca fraldas ou se veste procura sempre um interesse que esteja ali por perto e dedica-lhe toda a sua atenção.

Mas basta eu tocar-lhe nos ditos e... pára tudo!

Ele olha para mim e manda-lhe um olhar que diz algo do género:

Mulher, tu tira-me daí essas mãos ou vamos ter chatices da grossa, eu vou ter que ir ali buscar uma faca e dar-te uma chinada!

 

É, basicamente, é isso que ele me transmite com o seu olhar frio, focado e muito, muito, mas mesmo muito aborrecido pelo facto de eu, ao de leve, tentar ver se há ou não bolinha a condizer do lado esquerdo.

Assim que paro, Fatia#3 volta ao seu ao doce, abre um sorriso e continua a explorar o mundo.

 

Tenho para mim que não é à toa que lhes chamam as jóias da coroa.

 

Respect! 

Qui | 20.07.17

Férias, precisam-se

Fatia Mor

O sono ora é pesado e adormeço num ápice, ora me custa imenso a adormecer e acordo com qualquer som que me rodeia.

Independentemente do número de horas de sono conseguidas, as olheiras teimam em não desaparecer.

Demoro o dobro do tempo a fazer tarefas comuns do meu trabalho. E a vontade de as fazer voou para uma terra longínqua e não sabe como voltar de lá!

Chego a ficar parada, mais de 5 minutos, a olha para o vazio e a ponderar o que tenho para fazer. A memória está pelas últimas!

Parece que tenho um cansaço crónico, que se estende das unhas dos pés à ponta dos cabelos!

Preciso de férias. Muitas férias. E de dormir, 8 horas sem interrupções. E acordar por mim, sem despertadores tecnológicos ou humanos.

 

Quem está comigo?

 

Pág. 1/2