Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Sex | 29.12.17

2017

Fatia Mor

Apesar de não me considerar uma pessoa supersticiosa - ligo muito pouco a passar por baixo de escadas ou cruzar-me com gatos pretos - os números têm significados específicos para mim.

Por exemplo, o 2 por corresponder ao dia do meu nascimento tem sempre uma conotação especial. O 5 para mim é um número com brilho - sempre foi - e estranhamente (ou não) é o número de alminhas que habita lá por casa. O 7 sempre achei o número do equilíbrio, da vontade e da determinação. O 9 para mim é o número dos fins, dos términos e da morte. Estas associações criaram-se naturalmente na minha vida. 

2017 tinha tudo para ser um grande ano e foi. Mas foi também um ano de contrastes de alegria e de tristeza. Não sendo defensora dos balanços, esses para mim são diários, este ano foi um ano de mudanças estruturais na minha vida.

Foi o ano em que decidi que ia em busca de uma paixão na minha vida. Escrevi, na minha agenda, logo em Dezembro do ano passado que 2017 era o ano em que ia dedicar-me à fotografia e foi de facto! As formações, o curso em que me inscrevi, irão conduzir-me mais longe no que considero ser o outro lado de mim: um lado mais criativo, numa expressão diferente daquela a que estou habituada e que me tem feito tão bem.

Foi também o ano em que perdi a minha (última) avó. A matriarca da família, em toda a virtuosidade da palavra. A pessoa que me acompanhou ao longo de toda a minha vida. E isso também significa que a próxima linha é a dos meus pais - permita Deus que seja daqui a muitos anos. 

Foi igualmente o ano em que me apercebi claramente do meu crescimento. Em que senti que o tempo passa, na realidade, e que apesar de não existir, para nós que somos seres materiais finitos, ele não é uma ilusão. Os ciclos da vida tornaram-se mais prementes, quer seja pelos que nos abandonam, quer seja pelo crescimento acelerado dos que nos rodeiam.

Agora é tempo de pensar nos objectivos de 2018. Pensar no que poderá trazer, no quero realizar e alinhar a determinação nesse sentido. Acaba-se um dia e recomeça-se no outro... Que 2018 seja um ano de oportunidades para todos nós.

 

Feliz Ano Novo.

4 comentários

Comentar post