Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Sab | 30.04.16

Branquelices

Fatia Mor

Acabei de passar no blog do milho que foi ao fogo e levou açúcar (estão a ver de quem??) e confesso que me divirto muito mais com os comentários do que com os posts! 

Desta vez, a senhora estava a ser crucificada por estar branca... Oh por amor de Deus, mas será que já não se pode sair do Inverno sem bronzeado? E se ela está branca, eu estou translúcida! 

 

 

Qui | 28.04.16

Fartei-me!!!

Fatia Mor

A sério que me fartei!

Dos exageros, das maluquices, dos fundamentalismos de meia tigela que acham que um só modelo dá para toda a gente.

 

Ainda agora vi um vídeo em que uma grávida, desportista por profissão, levanta pesos de 50kg ou coisa que lhe valha. 

A legenda do vídeo? Algo do género "ah tanto se criticou a Carolina [Patrocínio] e aqui está uma mãe que levanta pesos e fez crossfit toda a gravidez".

Fez? Ainda bem para ela! Agora, deixemo-nos de maluquices.

 

A gravidez é um estado natural. Obviamente que não devemos tratar as grávidas como doentes e inválidas (isso render-me-à um post outro dia) mas também não podemos achar que por se tratar de um estado natural que não existam restrições e cuidados acrescidos. E não me venham com o argumento que "no tempo da minha avó também se tinham filhos" que eu começo a partir os monitores à distância! Claro que sim, mas a taxa de mortalidade perinatal também era outra, por exemplo!

 

Fazer exercício físico durante a gravidez é algo saudável. Óbvio! Mas temos que ver que tipo de exercício e preparação física existia antes da gravidez! Se eu ia ao ginásio regularmente e levantava pesos de 50kg, e caso tenha uma preparação física para isso, talvez possa continuar a fazê-lo, desde que não existam desconfortos e problemas associados a isso. Mas agora, não peçam a uma pessoa que faz actividade física de forma regular, duas vezes por semana, para continuar a fazer treinos de alta intensidade, porque certamente não adquiriu preparação física para isso. Para a grande maioria das mulheres activas, os exercícios devem ser maioritariamente cardiovasculares, como caminhadas, bicicleta (enquanto a barriga permitir), ou que promovam o fortalecimento dos músculos e alongamento como o pilates ou o ioga. Se não corriam 5km, não vale a pena tentarem agora!

Por isso, não comecem a achar que todas podemos ser Carolinas, que tem claramente um corpo de uma atleta de formação!

Cada pessoa é única, cada corpo é único e cada gravidez também. Deixem de achar que o que foi bom para uma será bom para todas!

E deixem-se lá de vaidades. Se engordar 30kg pode não ser o melhor para nós, não engordar 10g também não! Levem lá essa vidinha de grávidas na paz e deixem de ser fundamentalistas, pode ser?

Qui | 28.04.16

Para quando...?

Fatia Mor

Pelos vistos já há exercício baseado em tocar bateria... Sim, tocar bateria! Não acreditam? Ora vejam aqui o video!

 

A minha questão, que me parece totalmente pertinente, é:

Para quando exercício baseado em comer ou em estar à mesa em amena cavaqueira, com petiscos e vinhaça? Consigo antever grande sucesso para essa actividade... Mais até do que tocar bateria, em ritmo acelerado e com uma mistura de cardio, yoga e pilates!

Ter | 26.04.16

Semana #15

Fatia Mor

Querido diário,

 

Hoje, que fazemos 15 semanas, quero falar-te de um flagelo que atinge a grávida comum*. O que vestir? Aiiii querido diário... Por mais tempo que passe e experiência que se adquira nesta coisas de vestir uma grávida, os problemas persistem!

Primeiro, convenhamos que a roupa de grávida que existe é hedionda. Mas espera, antes de ser hedionda, ela tem que existir... ora, uma voltinha rápida pelas principais marcas do mercado e apercebemo-nos rapidamente que vestir uma grávida não é, de todo, prioridade. E não me venham com aquela conversa "basta-comprar-um-tamanhito-acima" que eu começo a distribuir lambadas por esta internet fora! Se tiverem as minhas proporções não adianta comprar um tamanhito acima... porque eu continuo a vestir um S na parte de cima, enquanto a zona da barriga, cintura e anca passa a vestir outro tamanho qualquer que não um S. Portanto, para um vestido acomodar a barriga, fica-me a nadar nos ombros e no peito!

Mas continuemos... Depois de as minhas calças passarem a comprimir uma barriga que claramente se quer mostrar ao mundo e, de por isso, acabar os dias com a triste figurinha de andar com as calças desapertadas, lá me convenci de que tinha que voltar a investir numas calças de grávida. Santa H&M (não, isto não é publicidade)! Já que mais nenhuma me vale, ao menos a H&M tem calças de grávida com um ar decente e que não custam os olhos da cara... Sim, querido diário... É que para além de hedionda, se quiseres alguma coisa em condições, tens que abrir muito os cordões à bolsa. 

E agora que já tenho partes de baixo, pelo menos para ir vestindo em alternância, sobra-me escolher o que vestir na parte de cima... Coisa que se adivinha complicada... Este ano, os tops são todos curtos, o que torna intrincada a tarefa de esconder o pano que cobre a barriga (e que por norma é escuro... podiam fazer isto em tom de pele, acho eu!). 

Assim, não é fácil sentirmo-nos no período mais bonito da nossa vida... Ah e tal, estás a gerar uma vida humana. Ok! Concordo... mas não preciso de parecer uma freira para fazer o milagre da vida, não acham?

 

 

*grávida comum = grávida sem dinheiro para comprar um guarda-roupa adaptado às mudanças (semanais) do corpo.

Ter | 26.04.16

Novidades

Fatia Mor

Bom, hoje é dia de diário da gravidez do fatia#3.

Mas antes de me lançar nas aventuras loucas de uma grávida de terceira viagem, não posso deixar de vos falar deste fim-de-semana! E se foi um fim-de-semana em cheio... 

O tempo melhorou consideravelmente! Passeámos pelas Caldas da Rainha, fomos até Óbidos ao Festival Internacional do Chocolate, voltamos para o nosso Algarve e ontem aproveitamos o dia para passear ao ar livre! 

As miúdas arejaram e nós estamos a precisar de férias do fim-de-semana prolongado. Conhecem a sensação?

 

E pronto, ausências justificadas, fiquem por aí que hoje à tarde há mais novidades!

Qua | 20.04.16

As coisas que eu já ouvi por ser psicóloga

Fatia Mor

Não é incomum ler aqui e lá, piadas hiperbolizadas sobre o que um psicólogo ouve de amiúde... Acabei de passar os olhos por uma e pus-me a pensar... 

E aquelas que eu já ouvi, e que não tomando dimensões de figuras de estilo, foram momentos da vida real que mais parecem retiradas do surrealismo?

Ora bem, vamos a isso, da pior para a melhor!

 

A sério?

A sério. Será que a expectativa seja de que as pessoas mintam quando lhes perguntam o curso ou a ocupação profissional?

 

E isso tem emprego?

Aparentemente. Claro que as coisas não estão fáceis para ninguém. Mas isto é como dizer a uma pessoa que engordou "não estás um bocadinho mais gorda?". É uma pobreza, e um gasto de latim desnecessário, falar do óbvio não?

 

E dás consultas?

Eu sei que a concepção que existe de um psicólogo é próxima da imagem do divã, com um velhinho de barbas com um caderno nas mãos a tomar notas sobre tudo o que dizemos. Mas felizmente para mim e para os psicólogos, no geral, "dar consultas" não é a única coisa para a qual ficamos habilitados quando terminamos um grau em Psicologia.

 

Isso é aquela coisa de aturar malucos, certo?

Sim. A avaliar por esta conversa, diria que sim! (não é o que respondo, mas vontade não me falta!).

 

Que bom, sabes é que estou aqui com um problema...

Pois, mas eu hoje estou de folga. Que tal marcares um consulta no meu consultório privado? 

 

Então tenho que ter cuidado contigo... podes ler-me!

Sim, especialmente depois de uma frase dessas, consigo ver no teu futuro próximo uma agressão verbal...

 

 

E por aí, mais profissões que oiçam coisas disparatadas? 

Ter | 19.04.16

Semana #14

Fatia Mor

Querido diário,

 

Estamos nas 14 semanas de gravidez! 

Um qualquer site sobre o desenvolvimento dos bebés nas barriguinhas das mamãs dirá que, por esta altura, tenho um feijão a crescer nas minhas entranhas! 

Sempre achei um delírio falar nestas comparações de tamanho... Especialmente quando chegamos à fase da meloa, do melão e da melancia! Dá toda uma nova tónica à ideia de ter algo a passar pelo nosso canal vaginal. Mas pronto, para já bebé, és um feijão. Ou coisa que nos valha e que vai bem com ovos escalfados!

Quanto a mim, para já, pareço só gordinha. A barriga insiste em sair das calças e a inchar fortemente ao fim do dia... A gravidez na primavera cria todo um novo impacto no guarda-roupa. Se eu já não sabia o que vestir porque o tempo está com características de uma personalidade borderline, então com a gravidez nem se fala!

Todos os dias são uma autêntica surpresa! "Ahhhh estas calças já não apertam"... "Ahhh esta camisa já fica esgaçada no peito"... "Ahhhh..." Ok, já perceberam, certo? É uma fase deliciosa, ainda não podemos usar roupa de grávida sob pena de parecermos umas apressadinhas da silva, mas a nossa parece a tentativa vã de nos enfiarmos num número abaixo... Sem sucesso! 

 

E pronto querido diário... Na próxima semana haverá mais!

 

 

 

 

Pág. 1/3