Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

02
Set15

Às vezes...

Fatia Mor

... parece que tenho uma mini-adulta em casa!

 

Fatia#1 [a falar aos gritos da banheira]: Oh mãe, traz-me lá a minha popota para eu brincar.

FatiaMor: Onde está? - digo eu que andava com a Fatia#2 ao colo.

Fatia#1: No cesto dos brinquedos. Onde é que havia de estar...

FatiaMor: Ok. Já encontrei.

Fatia#1: Obrigada mamã fofinha!

 

E pronto, é isto. Mini-pessoa em acção. 

01
Set15

Adrenalina parental

Fatia Mor

Bumgee jumping?

Comer fugu?

Ir a uma festa branca vestido com roupa rosa choque e verde alface?

Fazer uma aula de zumba?

Não sei qual o vosso conceito de emoção e adrenalina. Mas desde que fui mãe deparei-me com uma série de experiências capazes de pôr o mais controlado coração a bater de forma descompassada. 

Ser mãe de duas criaturas, com idades inferiores a 3 anos, permite-me no dia-a-dia experimentar a sensação de pânico de saltar de um avião juntamente com os suores frios de quem se aproxima de um penhasco e olha lá para baixo.

Ora vejamos, então, as atividades diárias que encostam o MacGyver a um canto e põe-me em modo de alerta, qual bambi na floresta:

1) Ir à casa de banho, por dois segundos, e deixá-las às duas sozinhas na sala. Ao voltar encontrar a mais nova debaixo do sofá e a mais velha a fazer um muro à volta dela com as almofadas.

2) Ir trocar a fralda à mais pequena e deixar a mais velha com um conjunto de pincéis e alguma tinta. E nos segundos que são necessários para trocar a fralda, vê-la passar pintada de verde, azul e rosa dos pés à cabeça... literalmente. 

3) Ir tomar banho e deixá-las às duas em divisões separadas. Sair do banho e dar com as duas dentro da cama de grades.

4) Ir à cozinha beber água e ouvir um silêncio repentino. Voltar ao sítio onde estávamos e dar com a mais velha em cima da cama, a trepar pelos móveis do quarto para chegar aos livros que estão na última prateleira.

5) Deixar a mais velha na casa de banho a fazer o número 2 (cocó para quem não sabe o que é). E quando damos por ela, está nua, a correr em direção à sala e com o rabinho por limpar.

6) Dar uma bolacha à mais velha. E num momento de distração estar enfiá-la pela goela abaixo da irmã (que convenientemente ainda não podia comê-las).

 

Desde que fui mãe sinto que vivo no limite, no fio da navalha, que tudo é a loucura... a loucura de ter duas filhas com dois anos de diferença. 

 

#SomosTodosPaisÀBeiraDeUmAtaqueDeNervos

01
Set15

Setembro

Fatia Mor

Não sei se há algum provérbio para Setembro. Eventualmente haverá, a paciência para o procurar é que não me assiste neste momento.

Setembro sempre teve um sabor agridoce para mim. Por um lado significava que o martírio das férias com o pai estavam terminadas. Durante vários anos e em especial nos últimos em que fui passar o Agosto para Bracara Augusta, o tempo parecia que se arrastava como se tivesse algum trejeito de malvadez em fazer-se andar por ali, ora demorando mais num segundo, ora atrasando um minuto à sua cadência. Por outro lado, Setembro significava o regresso às aulas, o reencontro com os colegas, com os professores. Mas especialmente Setembro significava a entrada do Outono. 

Não sei se é de mim, mas sempre gostei do Outono. Daqueles dias mais pequenos mais ainda quentes que deixam antecipar a necessidade de uma manta na cama, um chá quente à noite ou o assador das castanhas à porta. Se era o significado de mais um ano escolar e eu sempre gostei da escola, de aprender, de crescer. Seja como for, Setembro é sempre um misto de emoções. O abandonar da loucura do Verão para abraçar o recato destes dias mais bucólicos e saudosos. 

Agora, depois de adulta, o Setembro é o regresso ao trabalho. A profissão dita que o período de férias seja o mesmo que o escolar. E não me importo que assim seja. Apenas se junta mais um misto emocional ao mix já existente.

 

Seja lá como for... Bem-vindo Setembro.

 

Pág. 8/8

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre a FatiaMor

foto do autor

Fatias antigas

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Créditos

Imagens produzidas e fornecidas por Flaticon (https://www.flaticon.com/).