Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Sex | 27.02.15

Vestido, vestido meu, há alguma cor a mais, percebeu?

Fatia Mor

Ok. Foi só para rimar e confesso que não resultou grandemente. 

Ainda agorinha em conversa facebokiana apercebi-me da polémica da cor do vestido que pelos vistos hoje fez girar o mundo. E eu que ainda não me tinha dado conta, acho que também tenho que deixar a minha opinião para a posteridade. É branco e dourado? É azul ou preto?

A meu ver, branco e dourado, azul e preto, é feio de qualquer maneira e alguém devia propôr um styling qualquer à senhora que ia levar o vestido ao casamento... Não custa nada e ao menos acaba-se a conversa da cor!

Ter | 24.02.15

Dra. Fatia#1

Fatia Mor

Médicos de Portugal! Ponham-se na linha, porque se não o fazem vão perder clientela. Cá por casa reside uma médica em potencial que em breve, e não tarda nada, abre consultório. E garanto-vos que está para a medicina tradicional como o Pedro Choi para a chinesa! (nada contra, ok!?)

Uma verdadeira Dr. House do diagnóstico dos sintomas improváveis e das doenças raras.

Ainda há pouco tive o prazer de observar o seu método de diagnóstico diferencial, infalível por sinal.

Estava Fatia#2 a tomar banho, quando a Fatia#1 se aproxima, coloca-lhe a mão na testa, olha-lhe para o corpo e remata: "Mãe, não me parece ser varicela! A maninha não tem varicela!".

Ora aqui está, meus senhores e minhas senhoras, dignóstico feito! O que quer que Fatia#2 tenha, certamente não é varicela!

Vou já tratar de a propôr ao exame da ordem, pode ser que ainda consiga pôr a rapariga a trabalhar no próximo ano. Mas com esta precisão, tenho a certeza que não lhe vai faltar trabalho!

Seg | 23.02.15

O estranho caso da prodigiosa memória da Fatia#1

Fatia Mor

Tem sido um filme. De terror. De baixo orçamento e pobre argumento. Não chegava aos óscares tenho a certeza!

Fatia#1 teve que fazer uns xixis para despistar uma infecção urinária. Já todos fizemos xixi para os copos esterilizados. Contudo não com dois anos e meio e muito menos com a obstinação da Fatia#1 cá de casa.

Numa tentativa de a levar a fazer o xixi logo na pediatra foi um mundo todo de promessas. Entre mim e a avó Fatias, devemos ter "comprado" um tambor, uma bateria, um chupa-chupa, um ovo kinder ou mais qualquer coisa que a fizesse querer fazer xixi logo ali. Nada feito. Teve que ser em casa, na primeira ida à casa-de-banho da manhã.

Análises feitas, o médico insisitiu em fazer uma análise mais complexa por ter ficado com dúvidas no resultado encontrado. 

A sequela. Novo filme de terror. "Faz lá" "No copinho" "Pega o tablet" "Faz força" "Faz xixi" entre outras técnicas de tortura, como abrir a torneira, molhar a cabeça, e a típica onomatopeia "shhhhhhhhh".  Depois de duas adultas já aflitas e uma criança irredutível voltamos para casa na tentativa de repetir a façanha do dia anterior. 

De manhã, acordo Fatia#1 meio à socapa, levo-a para a casa-de-banho meio a dormir, trato de colocar o copo a jeito e lá vem algum xixi.

 

Fatia#1: Olha mamã! Xixi no copo! Quero um tambor, e uma bateria, e um chupa-chupa, e...

 

#SomosTodosPaisÀBeiraDeUmAtaqueDeNervos

Seg | 23.02.15

Óscars

Fatia Mor

Ora bem, vamos lá dar azo ao meu lado fashionista.

Depois de não ter estado uma noite inteira acordada para ver os óscares e depois de a esta hora ainda residir na ignorância sobre quem ou que filme arrecadou o óscar este ano, e ainda, depois de ter andado a dar uma vista de olhos aos vestidos maravilhosos (or not) que passaram na red carpet do famigerado Dolby Theatre, há uma questão que me continua a assombrar:

 

Mas será possível que aquela gente não acerta no número do sapato a levar?

 

Basta percorrer as fotos com pezinhos delicados à mostra, para vermos umas cinderelas com dedos a sair por todo o lado, calcanhares a meio da sola e outras coisas que tais... 

Ou eu uso os sapatos muito apertados ou... Nem sei!

Dom | 22.02.15

Fatia#2 milestone

Fatia Mor

Gargalhar! Muito! Sempre que lhe fazermos cócegas! Tão bom! 

Já me tinha esquecido como é bom, mas tão bom, ver a evolução de um bebé... 

Há lá coisa mais doce que um riso de um bebé?

Sab | 21.02.15

De Sábado para Domingo

Fatia Mor

Não é noite de jeito se não acabar no médico. E lá fomos nós, eu, Fatia#1 e avó Fatias, para garantir que está tudo bem com a pimpolha... Depois de um dia de correria, uma noite de animação é tudo o que uma FatiaMor desejava. 

Seja como for, amanhã é Domingo, para mim com letra maiúscula porque ainda sou do tempo em que nos ensinavam a ter respeito pelos dias da semana, pelos meses do ano e pelas estações... E Domingo é dia da preguiça, de fazer um bolo, ou bolachas com pepitas de chocolate. De levantar tarde, ir ao café e almoçar às duas e não ao meio-dia e meio. De ficar em casa, ver os filmes da tarde ou levar com os enervantes programas que correm Portugal de lés-a-lés. É não pensar na política, no eurogrupo ou na Grécia (hoje deu tema de conversa em barda...). É tudo isso e antecipar mais uma semana... E pensar que faltam menos uns dias para voltar à rotina do trabalho e enfrentar essa nova etapa nas nossas vidas.

Amanhã é Domingo, dia nacional da depressão para aqueles que trabalham de segunda a sexta! E para os que trabalham ao Domingo também!

Bom Domingo!

 

keep-calm-que-amanha-ainda-e-domingo-1.png

 

Sab | 21.02.15

De sexta para sábado

Fatia Mor

Devia ir dormir. Amanhã é dia de acordar cedo, numa correria, para estarmos na piscina com a Fatia#1. 

Depois é a correria para voltar para casa, tomar banho, voltar a vestir, ir às compras, preparar o almoço, arrumar a casa, pôr as crianças a dormir (ou empandeirar uma para os avós), e fazer o que o fim-de-semana proporcionar.

Longe vão os tempos em que o dia de sexta-feira auspiciava descanso puro. Em que no dia a seguir podíamos ficar na cama de manhã, mesmo que o hábito nos acordasse às 7 da matina ou porque o corpo já doía de estar na mesma posição.

Ou em que a noite de sexta significava saídas à noite, um café, um copo, ou até uma ida a uma discoteca abanar o capacete. Em que o sábado era dia nacional da ressaca pelas poucas horas dormidas (só isso, tá claro!). 

É, longe vão os tempos em que o entusiasmo da sexta era inversamente proporcional à depressão de domingo à noite. 

Agora... A depressão instala-se logo à sexta só a pensar no trabalhão que vem no fim-de-semana.

 

Bom fim-de-semana a todos os pais!

 

#SomosTodosPaisÀBeiraDeUmAtaqueDeNervos

Pág. 1/3