Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

Vida às fatias

Seg | 25.02.19

1, 2, & Mor (2019). A construção do Fluffy. Vida às Fatias, 1 (1). 1-2.

Fatia Mor

Introdução

Após tomar conhecimento de conceituada experiência para realizar FLUFFY (Tasty, 2019), optámos por realizar uma replicação da experiência original, com materiais portugueses, para verificar se o método empregue é o correto. É reconhecido o papel do amido de milho - vulgo maizena - nestes vídeos (e.g. Craft Panda, 2018, 2019), porém, a introdução da espuma da barba mostrou-se uma inovação cujos resultados precisam ser validados. Existem vários tipos de espuma de barba, com diversas propriedades (vide Continente ou Jumbo para verificação), contudo a experiência original não especificava qual o tipo de espuma a utilizar. Assim, foi nosso objetivo replicar o Fluffy, material branco esponjoso, algures entre o slime e a plasticina, com recurso a amido de milho e espuma da barba.

 

Método

Este estudo é empírico, transversal e de cariz exploratório.

Utilizou-se a medida de copo, padronizada, de acordo com medida conhecida no conceituado distribuidor de material de casa - Espaço Casa. A receita original sugeria a utilização, em partes iguais, de amido de milho e de espuma da barba. Colocou-se 1 copo de amido de milho, tendo a atenção de comprimir o material e garantir que não existia défice por possíveis espaços não preenchidos e mantendo o rigor de não ultrapassar a quantidade sugerida. Utilizou-se a mesma medida de espuma da barba, mostrando-se desde logo complexo atingir um valor de rigor satisfatório no que toca à medida de 1 copo.

Misturou-se tudo, primeiro com uma colher, tal como exemplificado, depois com as mãos. Amassou-se por mais de 20 minutos com desajeitado vigor, tal com demonstrado na experiência original.

 

Resultados

Obteve-se exactamente o que a mistura é: amido de milho com espuma da barba. O poder aglutinador da massa ficou aquém do esperado, que se desfazia com facilidade ao toque das mãos. Ligeiramente moldável, rapidamente voltava à composição semelhante à farinha. Neste momento, optámos por juntar mais espuma da barba, o que resultou exactamente no mesmo.

 

Conclusões

Apesar do sucesso aparente e rápido do vídeo (Tasty, 2019), que atribuímos a técnicas de edição intrincadas, o nosso Fluffy não se concretizou. Consideramos que tenha sido uma ameaça à validade interna desta experiência o tipo de espuma da barba. A utilizada referia ter um efeito suavizante que poderá ter impedido um Fluffy de qualidade.

Apesar disso, podemos retirar várias conclusões de elevado valor científico. 

A mãe estava, claramente, fora do seu juízo ao fazer isto em plena segunda-feira. 

O amido de milho continua a ser extremamente chato de limpar, enfia-se em tudo o que é buraco e acho que teremos amido de milho na cozinha até aos idos de 2030.

A quantidade de espuma da barba requerida pela experiência uma fragrância mentolada, que parece não sair das superfícies, mesmo depois de limpas, várias vezes!

De futuro, recomendamos às mães para pensarem duas vezes antes de se meterem nestas empreitadas. 

 

6 comentários

Comentar post