Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

03
Out17

Tenho uma filha reactiva

Fatia Mor

A Fatia#1 é um doce de miúda mas tem um feitio dos diabos. Desafia, contesta, argumenta. Tudo bons atributos desde que os mesmos não sejam aplicados em pequenas tarefas do dia-a-dia, com particular incidência na manhã e na hora de ir para a cama. 

Consegue, com facilidade, tirar-nos dos eixos do exercício de uma parentalidade positiva (ou que raio seja isso, coisa que ficará para um próximo post). 

A incontestável verdade é que ela é que a criança e nós é que somos os adultos, mas dou por mim (demasiadas vezes) a perder essa bitola, coisa que (ainda) não acontece com os outros dois elementos.

Poderia argumentar que é a primeira filha e, por isso, nela se concentram todas as nossas experiências, tentativas e erros, que depois aplicamos com outra segurança nos outros dois! Também é isso, mas certamente não só.

Após dias, noites e mais dias, a pensar no porquê, decidi mudar radicalmente a abordagem. 

Troquei o castigo de time-out, pela meditação. No fundo, é a mesma coisa, mas oriento-lhe a respiração, abraçamo-nos e deixamo-nos ficar em contenção até lhe passar a frustração de estar a ser desviada do seu interesse.

Faço um esforço geral e consciente, cada vez maior, para controlar o tom de voz.

Tento elogiá-la em todos os momentos. Sempre que alcança algo de positivo, reforço-lhe o comportamento. E também lhe mostro a necessidade de entender que posso ficar desiludida quando não cumpre o que ela própria estipulou (nas regras da casa).

E estamos a melhorar. Eu e ela. Ainda tenho momentos em que não me apetece despender todo este esforço ou que nem o consigo fazer, mas reconheço que tenho uma filha reactiva. 

Ela reage, mais do que age, em função do nosso estado de espírito e não é colaborativa quando sente tensão no ar. 

Talvez esteja a moldar uma lutadora, capaz de batalhar no meio da adversidade. Sei que vou olhar para trás, daqui a uns tempos, e sentir que foi fácil... Mas para já, tem dias bem difíceis.

 

18
Set17

Um ano

Fatia Mor

Fizeste ontem um ano, meu filho!

Fez ontem um ano que me redefini, pela terceira vez, enquanto mãe e enquanto ser humano.

Dizer que este revolução da terra em torno do sol passou num ápice é um cliché e, simultaneamente, um eufemismo.

Guardo com alguma emoção o dia em que vieste ao mundo, de forma atribulada. Guardo a angústia de não teres ficado comigo, de não ter sido meu o primeiro abraço, o primeiro beijo ou até a primeira fralda trocada. Mas retenho, com força e ainda mais alegria, todos os momentos que passámos juntos ao longo deste ano.

Foste o nosso terceiro filho, surgido do nada e que vieste para nos mostrar como o mundo é bonito em tons de azul, de verde, amarelo e também de rosa! Herdaste tanta coisa das tuas irmãs, que dificilmente compreenderás porque há tanta coisa em azul para menino! Fizeste da Fatia#1 uma irmã mais velha cheia de predicados e da Fatia#2 uma irmã do meio, cheia de ciúmes (pela frente) e cheia de preocupações (por trás, para ninguém ver o quanto ela também gosta de ti!).

Adoramos o jeitinho manso de te encostares no nosso ombro, da forma babada com chuchas no dedo (e que complicação que vai ser para deixar), os sorrisos que abres para toda a gente que te elogie! 

Elas ainda fazem gato-sapato de ti, meu filho, mas já começas a mostrar a tua energia. E a manter-se, vais-nos fazer velhos num instante!

Um ano, meu filho, um ano! 

Venham mais. Muitos e muitos mais!

 

 

 

14
Set17

Contar cabelos brancos

Fatia Mor

Depois de muitas asneiras, decidi que as minhas fatias deviam reflectir e decidir quais são as regras que devemos seguir lá em casa.

Sentamo-nos na cozinha, saquei de umas folhas brancas, um marcador preto e toca a escrever.

Apesar de elas não saberem ler, fomos falando e foram dizendo, cada uma seu jeito e entendimento, o que achávamos que deveria ser cumprido para uma convivência harmoniosa em casa (e não só)!

 

Ora bem, o resultado foi parar ao instragram:

 

 

Escusado será dizer que de boas intenções está o inferno cheio!

Duvidam? Ora vejam lá!

 

 

Acho que vou ficar cheia de cabelos brancos, em menos nada...

09
Set17

Um cheirinho das nossas férias

Fatia Mor

As férias foram uma aventura. 

Se sair de casa com três crianças pequenas pode parecer um desafio dos Jogos Sem Fronteiras (quem se lembra?), por outro lado, não queremos deixar de diversificar as experiências deles e fazemos um esforço por isso (mesmo que seja por pouco tempo).

 

Este ano optámos por um agroturismo.

Bem, optámos talvez seja dourar a pílula. Basicamente, foi onde conseguimos vaga para esta família numerosa, de maneira a acomodar-nos em dois quartos, com ligação entre eles, o que tornou a nossa estadia muito mais confortável! Ainda assim, a ideia era passar uns dias fora, com a família, passear por locais desconhecidos e num local que fosse calmo e rural. Pois bem, a Herdade da Serrinha foi tudo isso!

 

Situada em Santiago do Escoural, relativamente perto de Montemor-o-Novo, a Herdade da Serrinha é um monte alentejano, recuperado para agroturismo há uns anos, mas que só agora está a ganhar algum fôlego. 

IMG_5944.jpg

A traça é tradicional, a decoração é típica e se estamos à procura de algo inovador, só vamos encontrar o calor de uma casa familiar.

Aliás, a piscina - magnífica - contrasta com todo o trabalho agrícola que rodeia a casa principal. 

IMG_6021.jpg

 

IMG_5996.jpg

 E enquanto estamos na piscina podemos encontrar umas companhias diferentes!

IMG_5941.jpg

O Fatia#3 não deu por nada, nem achou grande piada à piscina. Mas as fatias meninas ADORARAM! 
Ainda hoje falam do "natel" (como diria a Fatia#2) como sendo a melhor coisa das férias. 

Esperamos, para o ano, poder fazer algo semelhante. Veremos onde nos leva o próximo verão.

 

Nota: Infelizmente, não me pagaram as férias. Pelo contrário, fui eu que paguei tudo... 

 

02
Ago17

Férias

Fatia Mor

Estou de férias! Finalmente! E isso significa que tenho muito menos tempo para vir aqui. Entreter três crianças e tratar das lides domésticas tomam-me o dia todo, para não dizer a noite!

 

Prometo tentar passar por cá, para ir deixando novidades, mas o mais certo é voltar ao activo quando voltar ao trabalho.

 

Até lá, umas boas férias para todos. 

 

Não se esqueçam, sigam-nos no facebook e no instagram!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre a FatiaMor

foto do autor

Fatias antigas

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Créditos

Imagens produzidas e fornecidas por Flaticon (http://www.flaticon.com/).