Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

15
Set15

Maninja e paninja

Fatia Mor

Quando nasce um filho, nasce um pai e uma mãe.

O que não nos contam é que nesse momento desce em nós o espírito dos ninjas. Esse espírito ancestral é capaz de nos dotar das mais habilidosas capacidades para entrar e sair de quartos na penumbra, sem chocar com móveis, brinquedos barulhentos mal posicionados e sem denunciar a nossa presença.

 

Ora vejamos alguns dos movimentos clássicos:

 

- O gato: o gato tanto pode ser usado na verificação do sono da criança como de saída depois de a adormecer e/ou enquanto esta adormece. Consiste na capacidade de apoiar apenas uma parte ínfima do pé, levantando as pernas de forma exagerada, mas que permita caminhar como um gato, no silêncio da noite. Por vezes pode ser necessário aplicar, em simultâneo a técnica do flamingo.

- O flamingo: quando a criança dá sinal da nossa presença ou quando o sonar integrado não permite detectar adequadamente o posicionamento dos objectos no quarto, a maninja ou o paninja estacam de forma expressiva, mantendo-se na posição em que estão, como quem joga ao macaquinho do chinês. Quando uma perna fica no ar, o maninja ou paninja fazem descer sobre si o espírito do flamingo, mantendo a posição em profundo equilíbrio.

- A pedra rolante: normalmente esta técnica ninja pode ser usada em cima da cama ou no chão, consoante o local em que a criança é adormecida. Consiste em rolar sobre si mesmo, mantendo o centro de força bem próximo ao chão e evitando ao máximo o contacto com objectos estáticos sob pena de acordar a criatura.

- O caranguejo: consiste em andar lateralmente, contornando os objectos do quarto, como a cama, cómodas ou armários, tentando escapar ao campo de visão da criança. É semelhante à técnica do recuo.

- O recuo: esta técnica é usada apenas no momento de verificação da criança. Observando que esta ainda está acordada mas prestes a deixar-se dormir, a maninja ou paninja estaca (flamingo) e começa a recuar, realizando passos semelhantes ao moonwalk ou ainda podendo aplicar a técnica do gato, numa perspectiva inversa, isto é, andando para trás.

- O carreiro de formigas: esta técnica normalmente abrange ambos os progenitores e também avós ou outras quaisquer visitas. É mais comum nos primeiros tempos de vida de um bebé em que todos insistem em visitar a criança quando esta se encontra a dormir. Normalmente entram todos no quarto em formato de gato e saem em técnica de recuo, contudo fazem-no com a precisão de um carreiro de formigas, sem comunicação verbal mas com profundo entendimento das intenções de todos - NÃO ACORDEM O BEBÉ!!!

 

 

 

 

13 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre a FatiaMor

foto do autor

Fatias antigas

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Créditos

Imagens produzidas e fornecidas por Flaticon (http://www.flaticon.com/).