Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida às fatias

Gostava de escrever um texto inspirador que servisse de meta a este blog... mas não há! É consumir depressa antes que acabe!

09
Nov16

A eleição do momento pela Fatia

Fatia Mor

Nem o Pedro Dias, com a sua aparição, qual Fátima aos Pastorinhos, conseguiu roubar completamente a atenção do que se passa do outro lado do Atlântico.

Acordamos hoje com a notícia de que o Donald Trump é o próximo presidente dos Estados Unidos da América. Se isso não é a concretização do sonho americano e de tudo aquilo que ele promete, então não sei o que poderá ser. O próprio Obama devia ter tido cuidado quando escolheu o seu slogan de campanha há 8 anos. É que a ideia do "yes we can" parece ter inspirado uma corrida ao ouro (que é como quem diz à Casa Branca) por parte de garimpeiros. E se bem se recordam, os tempos do velho faroeste eram duros... Mas já lá vamos.

Eu acordei hoje com a notícia mas já há alguns dias que me vinha a preparar para essa eventualidade. É que apesar dos Pais Fundadores da América serem pessoas cheias de boas intenções (dos fracos não reza a história, convém dizer), não posso dizer que a maioria dos americanos sejam as pessoas intelectuais e bem postas que vemos nas séries. Nova Iorque é pequenita comparada com o interior dos USA, com o grau de ruralidade, de ideias pouco esclarecidas...

Por isso não estou nada espantada que, perante um clima de instabilidade, criado pelos colarinhos brancos, os red neck e os blue-collar (eu sei que as expressões são pejorativas) tenham votado neste discurso inflamado de fazer a América grande novamente. 

Para eles a culpa é dos imigrantes, dos pessoal intelectual, que convenhamos ridicularizaram Trump e a sua campanha até começarem a perceber que o homem tinha algum potencial. Aí já foi tarde (e não sou eu que o digo... o Rodrigo Guedes de Carvalho fez uma crónica brilhante para a Revista Activa sobre isto)! Mesmo endurecendo discursos, essa meia dúzia de americanos europizados (como ele explica), não conseguiram criar impacto suficiente para combater toda uma América de ideias que nos assustam a nós, pessoas do outro lado do mundo.

Agora... O que me choca a mim é que vi mais pessoas a quererem votar nas eleições americanas do que nas próprias eleições do seus governantes. É que podemos chocar-nos muito com o que se passa noutros países com quem temos relações políticas aliadas, mas a verdade é que se puséssemos este empenho na nossa política, talvez as coisas estivessem melhores para nós. 

No que toca aos americanos, apesar de não gostar de nenhum candidato, claramente as minhas preferências não eram estas. Basta-me agora o consolo de acreditar que aquela enorme máquina de pesos e balanços, tenha tanta areia na engrenagem que não lhe permitam determinados devaneios. 

E pensemos positivo, o homem é tão desbocado que talvez venhamos a saber o que há na área 51 e quem matou, de facto, o JFK. 

Esperemos pelos próximos episódios desta série que muitos acharam que nunca sairia das linhas de um argumento louco...

3 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre a FatiaMor

foto do autor

Fatias antigas

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Créditos

Imagens produzidas e fornecidas por Flaticon (http://www.flaticon.com/).